Categorias
Balneário Camboriú Sinop

Mercado imobiliário se mostra rentável no metaverso

O metaverso está entre os temas mais comentados nos dias atuais. Estudo realizado pelo Instituto Kantar aponta que 6% dos brasileiros já transitam em plataforma de metaverso. Muito além da curiosidade, diferentes segmentos, incluindo o imobiliário, já mostram que esse universo paralelo pode ser bastante lucrativo.

Em novembro de 2021, a compra de terrenos virtuais, no jogo The SandBox, movimentou mais de US$ 86 milhões. De acordo com a MetaMetric Solutions, as vendas de imóveis nas quatro principais plataformas do metaverso atingiram US$ 501 milhões no ano passado. Se continuar nesse ritmo, o faturamento pode chegar a quase US$ 1 bilhão em 2022.

O potencial do setor chama a atenção de figuras conhecidas, como o rapper americano Snoop Dog, que já garantiu um conjunto de terrenos no mundo virtual, que ele chama de Snoopverse. Incorporadoras imobiliárias também já se movimentam e oferecem experiências que levam clientes a conhecer um imóvel de forma 100% virtual. Já a Roca Brasil Cerâmica apostou num evento virtual para divulgar os lançamentos de suas marcas. Esses ainda são os primeiros passos, mas o setor já prevê, por exemplo, a existência de imobiliárias virtuais no metaverso.

A rentabilidade no universo digital ficou ainda mais perceptível quando chegaram as criptomoedas e os NFTs (tokens não fungíveis), que atualmente são ativos financeiros valiosíssimos. Com o metaverso, empresas como Warner Music, Microsoft e Facebook pretendem investir em experiências cada vez mais imersivas para os usuários. Shows com artistas renomados e salas de reuniões interativas estão na lista das corporações. Incrementos que farão com que as áreas próximas das instalações dessas empresas, no ambiente virtual, sejam ainda mais valiosas. Parece até assunto futurista, mas já é realidade.

Fonte: Estadão Imóveis